Prévia BIG Festival - Okhlos: A voz do povo é a voz de Zeus | Sem Tilt

Prévia BIG Festival – Okhlos: A voz do povo é a voz de Zeus


Desde que cheguei no BIG Festival minha atenção foi capturada pelo vencedor da categoria Melhor Gameplay. Após muita espera tive a chance de colocar as mãos no controle de Xbox conectado ao Notebook que rodava Okhlos, o peculiar game desenvolvido pelos argentinos da Coffee Powered Machine.

Okhlos é um roguelike situado na Grécia Antiga. No jogo você controla uma multidão de pessoas enfurecidas com os Deuses do Olimpo, saindo em uma jornada de destruição e caos com o objetivo de derrubar as divindades que controlam suas vidas. Os gráficos estilizados em 16-bits lembram o sucesso mobile Tiny Tower, mas a grande diferença está na mistura dos personagens com ambientes 3D, muito parecidos com aquilo visto em Ragnarok e outros jogos 2.5D. Todas as cidades encontradas pela jogatina são geradas proceduralmente, o que dá um ar de novidade a cada missão.

No menu do game, que basicamente é um grande mapa no qual existem placas indicando aonde o jogador deve ir para dar início ao tutorial ou começar sua jornada, você assume o controle de apenas um personagem, o que muda rapidamente já que para recrutar pessoas basta se aproximar delas. Aumentando o número de membros em sua multidão é possível enfrentar inimigos mais fortes, além disso alguns personagens do grupo possuem poderes especiais que podem ser ativados com os direcionais do controle. Com os gatilhos traseiros e o analógico direito é possível indicar o local que deve ser atacado ou defendido pelos seus companheiros, para aprofundar as mecânicas há um medidor no topo da tela indica o “estado” da multidão, preenchendo a barra todos os personagens ficam mais agressivos e o caos se instaura, permitindo que construções sejam destruídas mais rapidamente e fazendo com que alguns inimigos fujam com medo de seu grupo.

Nos poucos minutos que investi no game encontrei harpias, grifos e gigantes, mas os desenvolvedores prometem uma infinidade de criaturas fantásticas que deverão ser destruídas. A própria multidão pode contar com diversas classes de personagens, podendo abrigar de animais a soldados espartanos. Ao final de cada fase, delimitada pelo mapa de uma cidade, é possível fazer upgrades em sua party, trocando alguns membros do seu grupo por um personagem com habilidades especiais como cura em grupo ou maior chance de golpes críticos.

Okhlos foi uma surpresa muito agradável. O gameplay é fluido e as mecânicas fazem com que buscar membros para a multidão antes de entrar em um combate com magos e cavaleiros nunca seja uma tarefa cansativa. O game ainda não possui data de lançamento, mas a Coffee Powered Machine pretende entregá-lo ainda este ano para PC, Mac e Linux. O game já foi aprovado no Steam Greenlight e quem comprar o game na pré-venda pelo site oficial receberá uma chave para o beta.

Não vá iniciar um levante contra Apollo ainda, filho de Ares! Confira outras Análises e Prévias, acompanhe mais da nossa cobertura do BIG Festival ou volte para a Home e confira as últimas notícias.

Compartilhe!

VH Capelini

Vindo das longínquas terras do Paraná, este jovem estudante de relações públicas leva uma vida baseada em derrotas humilhantes em Heartstone e mortes infindáveis em Bloodborne. Gosta de batata, de estudar e de indie games - principalmente puzzles e sidescrollers.

Sem comentários

Comente!