Os melhores jogos da Ludum Dare 31

Os melhores jogos da Ludum Dare 31


Captura de tela de 2015-01-02 19:48:00

Jogos muito rápidos, simples e extremamente criativos. Essa é a melhor forma de descrever os melhores jogos da Ludum Dare 31, uma das game jams vivas mais antigas (se você não sabe o que é uma game jam, nós explicamos neste artigo). Com o tema de “jogos completos em uma tela”, os desenvolvedores tiveram 72 horas para criar seus jogos e enviá-los para serem julgados pelos organizadores.

Todos os jogos desenvolvidos na Ludum Dare são disponibilizados gratuitamente para download ou para serem jogados no browser, variando caso a caso. Decidi testar alguns dos jogos com as melhores classificações em diversas categorias (e também no geral) e escolhi dessa lista sete que me fizeram pensar “mas já acabou? Quanto custa pra jogar mais?”.

Cada jogo é único e muito divertido, então aqui fica o meu desafio fácil para vocês: joguem todos esses jogos nas próximas 72 horas e não irão se arrepender!

O-inari Origami 

Assim que rodei O-inari Origami ficou claro o porquê dele ter vencido a categoria Inovação. Ele é um jogo de plataforma em que você deve alcançar uma esfera com uma chama/espírito para concluir a fase, mas as coisas não são tão simples assim. Você é uma raposa em um pedaço quadrado de papel, o que significa que, como qualquer papel, você pode dobrar suas pontas e laterais e dessa forma facilitar (ou dificultar) seu caminho até o objetivo. Toda vez que você dobra o papel alguma nova plataforma é revelada, e você pode passar de uma dobra para outra desde que não seja impedido por uma parede, é claro.

O nome já deixa a entender a ambientação do jogo, que lembra fortemente o estilo oriental e encaixa muito bem com a temática origami.

É o jogo mais demorado da lista, mas também é o melhor. Se você gosta de puzzles como eu vai ficar algum bom tempo jogando e se perdendo nas fases. Esse é o tipo de jogo que quero futuramente ver e comprar na Steam, e não duvido que isso aconteça. Ele também conta com um editor de fases caso você seja do tipo que gosta de se aventurar na criação.

Clique aqui pra ser enviado para a página do jogo

Você vai se confundir. E muito.

90 Seconds Portrait

Como alguém pôde criar algo tão genial e difícil em 72 horas? 90 Seconds Portrait tem uma premissa muito simples: você é um pintor e tem que pintar a pessoa/animal/coisa que aparecer na tela em 90 segundos e passar para o próximo. Quanto mais próximo você chegar da figura original, mais dinheiro você recebe e melhor é a sua nota. Por ser humanamente impossível alguém chegar minimamente perto da figura original em 90 segundos, o jogo é muito generoso nas notas.

A possibilidade de misturar cores para obter diversos tons, as três diferentes ferramentas de pintura (pincel fino, grosso e balde de tinta), a pressão feita sobre você para fazer seu melhor no “se vira nos 90″ e o contexto divertido do jogo fez de 90 Seconds Portrait o campeão geral da Ludum Dare 31, ganhando também nas categorias Fun e Mood.

Clique aqui para ir para a página do jogo

Minha melhor obra no jogo. Bom o suficiente?

Cuberot

O quarto colocado geral é um puzzle incrivelmente simples mas com o mesmo potencial de O-inari Origami para se tornar grande e complexo. Em Cuberot, Você é um personagem em um cubo e deve andar por seus vértices buscando a chave rosa que abra a porta de saída (a da fenda branca na imagem abaixo). No entanto, durante a fase você deve buscar outras chaves que levam a outras chaves que levam à chave que você tanto quer para sair desse cubo flutuando no nada. Algumas barreiras são desativadas com botões no chão, e outras com a própria ação da gravidade. Para liberar um obstáculo em especial, você deve se movimentar no cubo de forma que a parede caia para o lado correto e libere uma das chaves.

Se mostrou um puzzle pouco desafiador mas mesmo assim divertido. Senti como se fosse a primeira fase de centenas, mas infelizmente estava errado. A única fase me deixou com uma vontade imensa de implorar ao desenvolvedor por um jogo completo de Cuberot.

Clique aqui para ir para a página do jogo

Mais fácil que cubo mágico, pelo menos.

Escape Character

O segundo colocado geral está na posição merecida. Em Escape Character, Você é um arquivo de computador que ganha vida e deve atravessar os obstáculos impostos pelo administrador para alcançar o arquivo que te libertará do computador. Entre estes obstáculos estão firewalls – que são mostrados literalmente como paredes de fogo -, os cookies que tanto insistimos em apagar e os quickies, que são cookies mais fortes e rápidos. Seu personagem usa o ponteiro do mouse para selecionar os ícones nas janelas, abrir arquivos e bater nos cookies e quickies para que eles sejam apagados.

O jogo é recheado de mensagens engraçadas e piadinhas que dão um tom muito bem humorado a ele. O administrador constantemente deixa mensagens engraçadas para seu personagem ameaçando deletá-lo e deixá-lo preso no computador para sempre , mas dando dicas como “se você quer escapar, não abra as Opções”, fazendo você interagir com um personagem que sequer é visto no jogo.

Só queria que o desenvolvedor terminasse esse jogo para vermos como a história deste pobre arquivo irá se concluir.

Clique aqui para ir para a página do jogo

Piadinhas como “desabilitar firewall” são constantes no jogo.

 

Baulders

Representando o Brasil na lista dos melhores, Baulders foi o campeão na categoria Humor da LD31. A equipe que o desenvolveu contava com um brasileiro, e o resultado foi um jogo extremamente engraçado! É o único para dois jogadores nesta lista e se baseia em rebater pequenas rochas para destruir os obstáculos na fase e assim ganhar pontos. Durante a partida aparecem alguns power-ups para as rochas, que podem ficar gigantescas ou minúsculas, dando um bom dinamismo para a pontuação. Também é possível fazer o oponente perder 500 pontos se você jogar sua rocha entre as palhetas centrais dele. Basicamente, Baulders se assemelha a uma mistura de pinball e pong.

O humor está em praticamente todos os sons do jogo. A trilha sonora é feita por uma voz fanha cantarolando propositalmente muito mal uma música de fundo só com “nã nã nã”, o que já é suficiente pra fazer você rir do começo ao fim da partida. Como se não bastasse, outra voz boba entra por cima da incrível música quando você pega power-ups ou tira pontos de seu oponente, dando gritinhos como “Speeeeeeed!“, “Blue is Terrible” e até mesmo no começo da partida com um memorável “Begiiiiin!“. Se você quer rir, baixe esse jogo agora, mesmo que você não tenha com quem jogar. Faça os controles dos dois jogadores só pra ficar com dor de barriga de tanto rir.

Clique aqui para ir para a página do jogo

“Red sucks”, “Blue is terrible!”

Bad Television

Finalmente achei uma TV tão ameaçadora quanto a TV aberta aos domingos. Em Bad Television, o campeão da categoria Áudio, você deve derrotar sua querida televisão possuída, que quer te eliminar a qualquer custo. Seus utensílios de cozinha serão seu único recurso para destruí-la.

O visual 8-bits e a tela pequena fazem o jogo parecer que saiu direto de um Game Boy Color, mas com uma trilha sonora muito melhor que daquela época. A música é rápida, tensa e faz a tarefa de derrotar sua televisão algo emocionante e desafiador, combinando muito com o caos que é o combate final. Um dos únicos jogos da lista que eu não consigo ver uma continuação, mas devido ao contexto e não à qualidade do jogo. Sua TV quer te matar, você quer matá-la e é isso, mas mesmo assim é um ótimo jogo rápido.

Clique aqui para ir para a página do jogo

Sim, televisão realmente faz mal à sua saúde.

 

Filthy and Guilty

Fechando a lista está o campeão da categoria Gráficos, Filthy and Guilty, um jogo simples de investigação. Você controla quatro policiais e deve interrogar três suspeitos para descobrir onde está uma bomba que foi plantada na cidade. A boa sacada do jogo é que cada interrogador tem uma característica diferente e cada suspeito também. Uma agente é delicada e sedutora, outro é durão e pressiona os suspeitos, outro é gentil e tenta acalmar os suspeitos durante o interrogatório e o último é um negociador e oferece diversas opções para que tenha a informação que quer tirar dos interrogados. Os suspeitos também têm suas diferentes características que variam a cada novo jogo, e você deve escolher sempre os melhores agentes para cada caso.

O jogo é fácil, mas você pode ficar travado em alguns momentos se tentar interrogar alguém com o policial errado, levando os criminosos a não falarem mais nada independente do agente. A partida dura por volta de 5 minutos e é muito agradável no geral, principalmente pelo visual, obviamente. O cenário é colorido, os personagens são bem detalhados e as ações e reações de todos são bem elaboradas e combinam com o tema do jogo.

Clique aqui para ir para a página do jogo

 

Em geral é interessante notar que os jogos da Ludum Dare, apesar de rápidos e simples, têm um incrível potencial e mostram que há diversos produtores independente criativos espalhados pelo mundo. É difícil pegar um jogo dessa lista e dizer que ele é praticamente igual a algum já existente. Apesar do evento ser muito voltado para desenvolvedores, acredito que os jogadores também devem dar atenção para os melhores jogos de eventos como este para compreender como o cenário independente de jogos tem um potencial de criação gigantesco.

Alguns desses jogos se tornam, inclusive, ponto de partida para jogos completos alguns meses/anos depois, como foi o caso de The Sun and Moon OverridePortanto, fico tranquilo pois tenho praticamente certeza que ao menos um dos jogos dessa lista terá andamento ou servirá de inspiração para vários outros que virão neste ano ou nos próximos.

Compartilhe!

Bhernardo Viana

Amante do pão de queijo e do cafézim, começou a brincar no meio dos indies e não parou mais. Um grande fã de puzzles e de jogos alternativos, experimentais e malucos. É o Editor-Chefe do Sem Tilt e ex-redator no site e na revista da Indie Game Magazine.

Sem comentários

Comente!