Mini Metro - Nunca mais reclamo do metrô lotado | Sem Tilt

Mini Metro – Nunca mais reclamo do metrô lotado


MiniMetro_SPicon

Aproveitando a onda de simuladores sobre tudo, que tal um simulador de linhas de metrô? Em Mini Metro, você começa com uma pequena linha ligando 3 pontos de interesse distintos de uma cidade, e com o tempo você expande seu império metroviário em várias linhas coloridas diferentes para conseguir escoar o enorme e crescente fluxo diário de pessoas por toda a cidade, contando com o realismo dos gráficos de um simulador AAA, a dor de cabeça da super-lotação nas estações e dentro dos vagões, a espera por um espacinho no vagão que você ao menos consiga se enfiar dentro, o cheiro de humanidade das 18h voltando para casa e… Não. Espera, isso é a rede metroviária de São Paulo. Voltando…

Mini Metro, que saiu faz pouco tempo de um longo acesso antecipado, é um simulador de linhas de metroviárias que possui mecânicas simples como as de um jogo casual, e tem um design limpo e elegante como um jogo abstrato de mobile. Ou seja, é um pequeno jogo que reúne o melhor de vários outros. Antes de iniciar a partida, você escolhe uma das várias metrópoles super-lotadas para começar a montar sua rede, como Montreal, NY, Cairo e inclusive São Paulo, todas com suas geografias e características típicas – como o vagão reduzido em Cairo ou a icônica ilha de Manhattan.

O que me chamou a atenção foi o realismo das dores de cabeça ao se arrumar as linhas de acordo com o crescimento das estações, simulando levemente o crescimento populacional de uma cidade e sua consequente demanda por acesso à rede metroviária. Depois de algumas horas jogando, me dei conta do quão difícil é planejar a construção de linhas na vida real aqui em São Paulo, onde moro, equiparando com a dificuldade extreme de Mini Metro: todas as linhas e locomotivas, uma vez colocadas, não podem ser desfeitas. Claro que não é um simulador hiper-realista como o Asseto Corsa é para carros, que é usado oficialmente nos estandes da Ferrari, BMW e como treinamento na formula 3, mas ele consegue traçar uma linha firme entre simuladores, jogos casuais e puzzles. É divertido e ainda permite refazer a minha conhecida São Paulo, tão lotada e caótica quanto a real!

Uma partida de Mini Metro é basicamente o mapa da cidade escolhida com quadrados, triângulos e círculos espalhados por esse mapa, que com o tempo vão aumentando em quantidade. Essas formas geométricas vão acumulando pequenos pontos que querem chegar em outras formas, e você as liga com linhas coloridas para levar os pontinhos por ela até o destino desejado e evitar que muitos se acumulem no mesmo lugar. E basicamente o jogo é “só” isso, simples e limpo, sem qualquer informação desnecessária ao jogador.

Mas dentro desse “só” tem toda a temática de linhas de metrô que você já entende desde o começo, mesmo sem quase nenhuma referência direta ao tema, além do título e de ocasionais upgrades que você recebe periodicamente. As estações em áreas residenciais (círculo) ou comerciais (quadrado), talvez uma estação do lado do parque Villa-Lobos (estrela), aquela espera interminável dos passageiros para pegar um trem às 18h no horário de pico, a tensão do coordenador das linhas em manter as estações vazias e evitar usuários revoltados, uma estação que aparece no meio do nada e mesmo que dobre o tempo da viagem e da espera pelo próximo vagão você precisa integrá-la à rede, a falta de recursos para expandir a linha no mesmo ritmo do crescimento da população…. até que você percebe que metade das estações já estão com o triplo de passageiros que deveriam ter, os trens que estão para chegar não comportam nem mais um passageiro e em poucos segundos aparece a tela de Game Over. Você até tem a opção de continuar a partida em um modo livre, mas sempre dá aquela vontade de querer tentar de novo e fazer um pouco melhor! Talvez fazer uma linha que ande num único sentido ao invés de ir e voltar, centralizar todas as linhas em uma única estação (cof-cof… Luz… cof-cof), fazer uma linha central pequena e várias ramificações dela… a decisão fica com você.

Sempre que eu ouvir uma reclamação de trem  ou metrô lotado, vou me lembrar de Mini Metro. Você pode comprar Mini Metro no Steam por R$ 19,99 para Windows e Mac.

5

Compartilhe!

Rodrigo Consoli

Gamer desde os 7 anos, sempre disposto a explorar coisas novas ou diferentes do que eu já conheço. Já que não achei uma faculdade de magia reconhecida pelo MEC, fico como cientista mesmo...