Magicmaker e 45 zilhões de magias para se criar e usar | Sem Tilt

Magicmaker e 45 zilhões de magias para se criar e usar


JxaoGDy2CJRe.878x0.Z-Z96KYq

Magos são aqueles personagens que passam horas tentando fazer um foguinho de isqueiro sair da mão e acabam se queimando várias vezes no processo para, no futuro, destruir todos os inimigos com uma só magia e ainda levar junto metade do campo de batalha e até próprios amigos se não tomarem cuidado. O famoso 8 ou 80.

Vários jogos, de MOBAs como League of Legends a RPGs como Final Fantasy, tentam balancear essa fonte de poder, seja com o gasto de pontos de magia, um tempo de espera para usar mais uma delas ou mobilidade e resistência limitadas. Mas se nós queremos jogar sendo um mago é para usufruir do poder de quebrar o jogo dos seus inimigos e da liberdade de alterar a realidade ao seu prazer, e isso Magicmaker consegue fazer.

De primeira vista, Magicmaker parece um daqueles joguinhos de arcades antigos, cheio de piadinhas e com gráficos simples, em que você vai atirando em tudo que se move enquanto avança pela fase. Na verdade, eu vejo parte do jogo como sendo mais esse arcade de plataforma do que o dungeon-crawler que o autor diz ser. Pouco depois de terminar o tutorial, você tem um roupão mágico, uma varinha que atira rápido e fraco e, de graça, uma magia 10 vezes mais forte que a varinha em si, porém com custo razoável de pontos de magia.

Esses equipamentos possuem um número de espaços para serem imbuídos por elementos encontrados nas missões, que vão aumentando com o progresso no jogo. Cada missão concluída com êxito lhe oferece um aumento nos slots dos equipamentos, também conhecidos como artefatos místicos, que ajudam nas missões futuras, como uma bota para super-pulos ou uma cabeça de górgona que petrifica todos os inimigos por alguns segundos. Até aí não tem nada de mais, se não fosse pelo sistema de magias.

Ao contrário de Lichdom, um jogo com um complexo sistema de runas e dano potencializado, Magicmaker utiliza a combinação de vários elementos diferentes, que são materiais para alterar ou amplificar os efeitos da varinha, das magias e de seu roupão, e podem ser trocados e testados o quanto quiser sem gastar nada. Para quem já jogou Magicka (que eu gosto muito e recomendo, principalmente se você possuir um grupo de até 4 amigos para jogar), o sistema é parecido. Mas enquanto Magicka só possui oito elementos básicos e outros dois combinados, Magicmaker possui incríveis 45 materiais diferentes, cada um com 4 níveis de força que vão de D, o mais fraco, até A, o mais forte e raro.

Cada material possui dois efeitos, um para o roupão e outro para a varinha e magias. Alguns desses efeitos mudam completamente como ela funciona. Tem a lente de aumento para conseguir um feixe de magia, a chave Vulcan para criar turrets que atacam por você, o pacto de alma para gastar vida no lugar de pontos de magia, diamante para seu ataque atravessar os inimigos, o “extrato de Segunda-Feira” que faz o projétil começar bem devagar e ir ganhando velocidade e força aos poucos, a espada ninja que diminui drasticamente o alcance para tornar o efeito letal…. E o jogo vai além. Existe até o material Alcachofra, que dá chance de acerto crítico porque sim! Isso tudo ainda sem contar com os outros 45 efeitos para o roupão.

Eu, por exemplo, em uma das configurações, fiz uma magia de lasers perseguidores mortais para poucos inimigos. Uma outra magia absurda que usei era de cinco bolas azuis que, em alguns segundos, se dividem individualmente em mais seis delas e ricocheteiam entre inimigos, se dividindo em outra seis e deixando um rastro de bolas azuis menores preenchendo o mapa com incontáveis projéteis. Também combinei o roupão com pena de harpia para flutuar no ar e a varinha com pedras de teletransporte para me mover em qualquer direção sem ser incomodado com a gravidade. No total, usei com isso uns oito efeitos diferentes para magias e só um para o roupão dos 45 para cada um.

Infelizmente, nem tudo é perfeito. Magicmaker é muito curto, e em 4 horas é possível zerar o jogo e começar o NewGame+ com maior dificuldade e mais slots, mas com exatamente as mesmas missões. Não existe nenhum modo de multijogador, que é mais outro ponto positivo que Magicka tem sobre Magicmaker e que conta muito para a rejogabilidade. Mesmo com essa pouca rejogabilidade, para quem gosta de personalizar da roupa até a aparência da magia e principalmente a sua natureza, Magicmaker vale a pena.

Sempre gostei dos magos em jogos, seja pelo tamanho poder que conseguem adquirir, pela capacidade de alterar a realidade para o seu jeito, ou pela criatividade em destruir seus inimigos de maneiras surpreendentemente criativas, e Magicmaker expressa isso muito bem. As leis do mundo em que você está impõem sim certas limitações, mas como um poderoso mago ou maga que você é, basta um pouco de treinamento para que você possa manipular essas mesmas leis de acordo com sua vontade e destruir seus inimigos com alcachofras ricocheteando e pegando fogo.

Magicmaker está disponível na Steam para Windows por R$ 19,90.

 

3.5

Compartilhe!

Rodrigo Consoli

Gamer desde os 7 anos, sempre disposto a explorar coisas novas ou diferentes do que eu já conheço. Já que não achei uma faculdade de magia reconhecida pelo MEC, fico como cientista mesmo...